63% das lojas e-commerce na Europa violam direitos do consumidor

em out 27, 2016:por

Redação Next Ecommerce

O Nextecommerce é um canal para compartilhar idéias sobre as tendências e novidades que encontramos e produzimos no mercado.
artigo-conteudo

Um levantamento realizado pela Comissão Europeia de e-commerce mostrou que 63% dos clientes no continente já tiveram problemas com informações faltantes, imprecisas ou incompreensíveis sobre o “direito de arrependimento” de um produto. A entidade obteu s números após uma varredura da Comissão, da qual foram alvo 697 lojas de comércio eletrônico.

De acordo com o estudo, um a cada três websites apresentam detalhes incompletos sobre as suas lojas, enquanto 20% fracassam ao tentar entregar ao consumidor uma forma clara de anunciar preços ou condições dos contratos.

Depois da varredura, 436 empresas e-commerce foram diagnosticadas com alguma irregularidade. Dessas, 88% se mexeram para corrigir as falhas, enquanto 83 sites não se adequaram às normas e serão processados.

Direito de arrependimento

Diferentemente do Brasil, nos países participantes da União Europeia o direito ao arrependimento é de 14 dias – aqui, o período para um cliente desistir da compra sem necessidade de alegar motivos é de sete dias.

Na malha fina, a Comissão Europeia descobriu que dois em cada três lojas e-commerce não disponibilizavam todas as informações sobre direito de arrependimento requeridas pela legislação do continente.

“Websites não tinham uma política para esse direito da forma como prevê a lei, ou não informavam o cliente sobre o número exato de dias que o consumidor tem para desistir da compra”, afirmou a entidade.

Além disso, um em cada três lojas e-commerce dispunham de poucas informações sobre os comerciantes. A comissão encontrou, por exemplo, empresas que não divulgavam o endereço comercial ou o nome completo do comerciante, algo requerido pela legislação europeia em compras pela internet.

A Comissão Europeia também mostrou preocupação com o anúncio de preços. Autoridades descobriram que 21% das lojas apresentavam dados imprecisos sobre o preço ou condições de contrato antes de uma aquisição ser finalizada.

Já uma pequena parcela (18) das empresas incluídas na malha fina não continha esclarecimentos claros sobre o produto vendido ou o serviço contratado em seu site.

Fonte: Ecommerce News Europe (E-commerce Brasil)

veja também:

email

Por que o marketplace é o assunto do momento no e-commerce?

O ano de 2017 está sendo marcado pela consolidação do CONTINUAR LENDO…

dinheiro

Precificação de produtos: o que é e como simplificá-la

A precificação de produtos é um processo extremamente importante na CONTINUAR LENDO…

ARTIGOPAI

Como se preparar para vender mais no Dia dos Pais?

O Dia dos Pais, comemorado no dia 13 de agosto, CONTINUAR LENDO…

artigo-conteudo

Investir em garantia de chargeback vale a pena?

O cenário digital pode promover diversos benefícios para quem busca CONTINUAR LENDO…

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

Calendário

 
JUL 25