Aplicativos geraram quase 50% das transações mobile no Brasil

em ago 10, 2015:por

Redação Next Ecommerce

O Nextecommerce é um canal para compartilhar idéias sobre as tendências e novidades que encontramos e produzimos no mercado.

Um estudo realizado pela Criteo (NASDAQ: CRTO), líder global de tecnologia especializada em performance de marketing digital, mostra que os aplicativos foram os principais responsáveis pelas compras mobile do Brasil no segundo trimestre de 2015. Os aplicativos possuem uma performance melhor que qualquer outro canal, incluindo o desktop e, por conta disso, quase 50% das transações mobile ocorreram por meio dos apps. Baseada em dados de 1,4 bilhões de transações online que movimentaram US$ 160 bilhões de vendas mundiais no período, a Criteo revela que mais de 13% do comércio eletrônico brasileiro foi feito por meio de dispositivos móveis no segundo trimestre. O resultado é ainda melhor para os principais varejistas online, que conseguiram uma média de 25% de suas compras feitas por meio de smartphones ou tablets.

Uma em cada cinco transações das categorias de “Home” e “Saúde e Beleza” agora são feitas via mobile. Já as categorias de “Esportes” e “Moda e Luxo” têm apresentado um crescimento consistente, principalmente em relação aos smartphones.

Quanto aos sistemas operacionais, no Brasil, ao contrário do que acontece nos Estados Unidos, quem continua ganhando espaço nos smartphones é o Android, com 25,9%. Essa informação é valiosa para os varejistas que estão optando por priorizar os aplicativos e colocando-os como uma peça chave para incrementar a receita. Para os que já aderiram a essa tecnologia, os apps geraram aproximadamente 47% de toda a receita mobile. Aliás, eles são mais significativos na hora de fazer reservas de última hora no setor de turismo. Cerca de 42% das transações com esta característica vieram por meio de apps.

As altas taxas de conversão por meio dos aplicativos indicam que a experiência do usuário é melhor do que nos desktops e browsers. Isso também é um reflexo do fato de os apps, em sua maioria, serem utilizados por consumidores leais. No varejo, por exemplo, os comerciantes que optaram por oferecer a opção de aplicativo, tiveram uma taxa de conversão três vezes maior que o browser mobile. No setor de turismo, a taxa de conversão dos apps é quase duas vezes maior que a do browser mobile.

Os consumidores visualizam três vezes mais produtos no aplicativo do que no browser mobile. No setor de varejo, o valor do pedido por transação no app, browser mobile e desktop é quase o mesmo. A cada US$ 100 no desktop, são US$ 98 no browser mobile e US$ 95 no app. Já na parte de travel, o mobile é menor porque é mais utilizado para reservas de última hora. Os valores de browser mobile e apps são bem similares nesta área, com US$ 78 e US$ 77 respectivamente.

“Os aplicativos geram resultados surpreendentes. Por isso, está na hora das empresas repensarem seus planos para dispositivos móveis e ficarem atentas ao cross device, pois a assertividade deve ser uma característica básica para os comerciantes online”, explica Fernando Tassinari, Diretor Geral da Criteo no Brasil.

veja também:

adwords

Como melhorar as vendas com o Google AdWords para e-commerce?

Por: Wallace Castro Você quer vender mais, economizar tempo e fazer CONTINUAR LENDO…

red bull

Marketing de Conteúdo te dá asas

Por: Renann Mendes Nunca fui muito fã de dar aulas, CONTINUAR LENDO…

shopping

Google Shopping: aprenda como usá-lo a seu favor

Por: Raquel Lisboa – Nuvem Shop É cada vez mais CONTINUAR LENDO…

email

Por que o marketplace é o assunto do momento no e-commerce?

O ano de 2017 está sendo marcado pela consolidação do CONTINUAR LENDO…

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

Calendário

 
JUL 25