Como combinar sua Loja Virtual com o Site Institucional da sua empresa

em jun 15, 2012:por

Danilo Fadel

Sócio da Nexttarget, é formado em Administração de Empresas pela ESPM pós-graduado pelo Insper Ibmec. Trabalhou como analista de novas tecnologias na Editora Abril e gerente de projetos na F.Biz WPP.
Views11
pao_de_acucar

Com a entrada cada vez maior de grandes varejos e marcas no e-commerce, surge a seguinte dúvida:  “Devo manter meu  site institucional ou centralizar todo o canal online abaixo do  site de vendas?” – A verdade é que não existe uma resposta correta para essa questão. Isso vai depender do posicionamento e do objetivo da empresa.

Para tomar a decisão sobre essa dúvida, é necessário analisar uma série de fatores, como por exemplo o público da empresa, sua história, sua estratégia, sinergia com o mundo off-line, entre outras.

O que temos notado é que as empresas que possuem o Varejo como foco do seu negócio, tem se posicionado de forma diferente daquelas que possuem uma Marca diferenciada.

Vamos pegar o exemplo da Magazine Luiza. Ao entrar na url www.magazineluiza.com.br o usuário é direcionado diretamente para a Loja Virtual da empresa. Isso ocorre justamente porque a Magazine Luiza é uma empresa tradicional do Varejo e que tem como seu negócio principal a comercialização de produtos. Ainda assim há uma área institucional, que pode ser acessada dentro da própria Loja Virtual, como mostra a figura abaixo:

magazine_luiza_ecommerce

Magazine Luiza

 

Outro exemplo de empresa que entrou no e-commerce após obter sucesso no varejo tradicional e que utiliza o canal de vendas como principal meio digital é o Grupo Pão de Açúcar.

pao_de_acucar_ecommerce

Pão de Açúcar

 

Por outro lado, temos diversos exemplos de empresas que possuem Lojas Virtuais, mas que ainda utilizam o site Institucional como porta de entrada para web. Veja por exemplo o caso da Brastemp.  Ao entrar em www.brastemp.com.br o usuário é levado para o site institucional, onde é disponibilizado conteúdo das últimas campanhas da marca, suas linhas de produtos, onde o cliente pode encontrar assistência técnica, e por final, um link para a Loja Virtual.

brastemp_ecommerce

Brastemp

 

Outro clássico exemplo de marca que mantém forte seu site institucional, mas que possui um canal de vendas é a Nike. Por mais que a empresa tenha sua Loja Virtual, ela mantém como destino para a url www.nike.com seu site institucional, que segue o conceito de toda a comunicação visual das campanhas da empresa.

nike_ecommerce

Nike

 

Essa estratégia de manter um site Institucional com maior relevância se dá justamente para diferenciar a experiência do usuário e aumentar o valor da marca. Empresas como Brastemp e Nike, possuem uma estratégia de  Marketing muito focada na criação de valor de marca e de um conceito único, criando um posicionamento único.

Varejistas como Magazine Luiza e Pão de Açúcar investem em suas marcas e criam valor para seus clientes, mas ainda assim precisam manter a força nas vendas, inclusive porque trabalham com uma linha de produtos muito parecida com a de seus concorrentes e a facilidade de compra pode ser um diferencial para ganhar um cliente.

Além da parte Marketeira de analisar se é interessante ou não manter um site institucional como porta de entrada na web, deve se pensar no custo que isso pode ter. A maioria das plataformas cobra a mensalidade baseada no número de pageviews de seus clientes. Ao deixar sua empresa ou marca sem um site institucional separado do e-commerce, você levará todo o tráfego online para a Loja virtual, e uma boa parte desse tráfego pode não estar interessado em efetuar uma compra, mas sim em procurar alguma informação sobre a empresa. Dessa forma, o varejista tende a pagar um valor mais alto pela hospedagem do que se optasse por ter um site institucional em um ambiente separado.

O ideal é fazer um estudo de como a concorrência se comporta no meio online, qual o objetivo do e-commerce (efetivamente vendas ou complementar os canais físicos), qual o comportamento do seu consumidor e os custos envolvidos, para aí sim tomar essa decisão.

Publicado por Consultoria eNext

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

2 Comentários :

  1. Gabriel Oliveira disse:

    Muito bom o artigo. Só não concordo com o valor a mais pela hospedagem, com certeza o processamento por trás de uma loja virtual consome mais do servidor, mas na prática de valores de hospedagem não haverá tanta diferença.

    Essa é a minha opinião.

  2. Jacqueline Leão disse:

    Eu vejo um problema, a distração no momento da compra. Tanto investimento para trazer o cliente para a Loja Virtual, sendo que se ele clicar no site institucional, ele provavelmente se distrairá e não efetuará a compra naquele momento. Como você redirecionaria este cliente de volta para a Loja Virtual?

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25