Como administrar o capital de giro de seu e-commerce.

Se você está planejando abrir uma loja virtual ou já possui uma operação em andamento, deve se atentar para um fator que muitos empreendedores acabam deixando passar despercebido, o capital de giro.

Embora pareça óbvio, grande parte dos empreendedores focam a maior parte do seu tempo planejando ações de marketing, desenvolvendo o mix de produtos, gerenciando a operação do negócio e acabam deixando o financeiro acontecer de forma orgânica e não planejada de forma eficiente.

Uma das peculiaridades do varejo, e principalmente o varejo virtual, é que a maior parte das despesas tem em média um prazo de pagamento de no mínimo 30 dias. Dentre essas despesas, consideramos os salários pagos aos funcionários, a mensalidade da plataforma de e-commerce e verba de marketing (principalmente verba para buscadores). Todas essas despesas crescem de acordo com o crescimento do negócio e são pouco escalonáveis. Se o empresário não planejar bem suas finanças, terá sérios problemas para conseguir mantê-las em dia.

Além dessas despesas de curtíssimo prazo, podemos considerar que o prazo médio de pagamento de fornecedores no varejo virtual é de 90 dias, podendo ser ainda menor para quem está iniciando sua operação.

Outra característica do varejo virtual e que tem extrema importância nesse planejamento financeiro é o fato de que o prazo de recebimento médio está em torno de 120 dias, pois a oferta de parcelamento é fator determinante para se manter competitivo nesse setor.

O maior prazo de recebimento comparado ao prazo de pagamento faz com que o caixa dessas empresas fiquem descasados, fazendo com que muitos empresários necessitem antecipar seus recebimentos via banco ou aportar capital não previsto inicialmente, criando um verdadeiro caos em suas finanças.

Esse cenário descrito acima existe em grande parte das empresas, mas existem algumas formas de planejar para manter uma operação saudável e em ritmo de crescimento. Vamos à elas:

- Negociação de Pagamento com Fornecedores: dificilmente um varejo entrante no mercado conseguirá uma negociação muito boa com fornecedores, mas sempre existe formas de conseguir uma negociação melhor. Propor parcerias, divulgação da marca dentro do site e até mesmo criar lojas especiais desses fabricantes pode ser uma maneira de criar um vínculo maior e conseguir melhores prazos de pagamento;

- Giro de Estoque: a partir do momento que você possui uma operação rodando e consegue ter uma previsão de vendas mais acurada, é possível trabalhar para diminuir o tempo médio de estoque. Isso tem impacto direto no caixa da empresa, criando uma maior segurança financeira para operar o negócio;

- Margem (mark up): outra possibilidade de obter uma segurança financeira é através do aumento da margem dos produtos, o que gera um maior lucro, melhorando o resultado final. Essa melhoria na margem pode ser alcançada através de negociação com os fornecedores ou através de melhorias na eficiência da operação do negócio como um todo. Um Mark up médio que consideramos ideal para o e-commerce é 2,2 sobre o custo da mercadoria;

- Prazo nas Vendas: essa é talvez a forma mais complicada de conseguir melhorar o resultado, pois está ligada diretamente com o sucesso do negócio. Não aconselho diminuir o número de parcelamento, mas é sempre possível criar campanhas para que os clientes comprem à vista, como por exemplo oferecer um desconto em compras por boleto e depósito bancário.

O ideal é trabalhar em todas essas frentes para conseguir obter uma melhora significante nos resultados financeiros e operacionais, mas de qualquer forma qualquer melhoria em uma delas, já pode trazer uma maior tranquilidade para quem está empreendendo em uma Loja Virtual.

Danilo Fadel

Sócio da Nexttarget, é formado em Administração de Empresas pela ESPM pós-graduado pelo Insper Ibmec. Trabalhou como analista de novas tecnologias na Editora Abril e gerente de projetos na F.Biz WPP.

1 resposta para “Como administrar o capital de giro de seu e-commerce.”

Deixe uma resposta