Crescimento anual do e-commerce salta para 10,8% em setembro

em nov 04, 2016:por

Redação Next Ecommerce

O Nextecommerce é um canal para compartilhar idéias sobre as tendências e novidades que encontramos e produzimos no mercado.
artigo-conteudo2223

Em setembro, as vendas no varejo brasileiro continuaram a ensaiar recuperações, embora ainda sem resultados. Entretanto, houve pontos de atenção: as vendas totais em setembro encolheram 3,3% comparadas ao ano anterior, desempenho não muito diferente da queda de 3,2% em agosto em relação a 2015.

Contudo, há sinais sutis de que os gastos podem caminhar para uma virada de chave: as vendas totais ao longo dos últimos três meses (julho, agosto, setembro) caíram 3,6% comparadas ao mesmo período de 2015, desempenho acima da queda de 4,5% do segundo trimestre.

Um dos principais destaques no desempenho do varejo em setembro foi o e-commerce, que apresentou crescimento de 10,8% em relação ao ano passado. O desempenho é bem semelhante ao crescimento de 11% em agosto, considerado o resultado mais forte do canal nos últimos 12 meses.

Além disso, o e-commerce apresentou um crescimento de 8% nos últimos três meses em relação ao mesmo período do ano passado.

No varejo, quatro setores superaram as vendas totais: vestuário, materiais de construção, artigos de uso pessoal e doméstico e produtos farmacêuticos. Enquanto isso, supermercados, combustíveis, móveis e eletrônicos tiveram desempenho abaixo.

No e-commerce, produtos farmacêuticos e eletrônicos tiveram desempenho positivo, enquanto os setores de móveis, vestuário e hobby & livrarias ficaram para trás no crescimento total do e-commerce.

“A inflação continua a representar um problema para a economia, mas pode diminuir no final do ano”, disse Kamalesh Rao, diretor de pesquisa econômica da Mastercard Advisors. “Ainda assim, os ventos contrários para os gastos do consumidor brasileiro são muitos, e, desse modo, o panorama deve continuar incerto no curto prazo”, acrescentou Rao. 

O ambiente econômico: a confiança do consumidor registrou seu quinto aumento consecutivo em setembro, refletindo uma melhoria gradual na percepção do ambiente econômico. No entanto, a taxa de desemprego continua elevada, o que, junto com a inflação, acaba corroendo a massa salarial.

Regiões brasileiras: em termos de crescimento em relação ao ano anterior, o Sudeste (-2.5%) e Nordeste (-2.5%) tiveram resultados superiores ao restante do País, enquanto o Norte (-5.9%), Sul (-4.4%) e Centro-Oeste (-4.3%) tiveram desempenho abaixo.

Fonte: E-commerce Brasil

veja também:

Como obter um diferencial e recompensar os clientes do seu e-commerce

Por: Alejandro Vásquez, cofundador da Nuvem Shop e diretor de CONTINUAR LENDO…

artigo-conteudo3

Geração “Y” de consumidores demanda muita atenção de varejistas

Por: Juan Pablo Uma estratégia móvel robusta nos dias atuais CONTINUAR LENDO…

Consumidores multicanal: a nova tendência do varejo

Por: Pedro Ivo Martins O consumidor mudou, online e offline CONTINUAR LENDO…

artigo-conteudo

5 métricas fáceis de analisar que ajudam a crescer uma fan page

Por: Camila Porto As principais dificuldades apresentadas pelos empreendedores e CONTINUAR LENDO…

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

Calendário