E-commerce e marketplace: o passo a passo da integração

em nov 04, 2016:por

Redação Next Ecommerce

O Nextecommerce é um canal para compartilhar idéias sobre as tendências e novidades que encontramos e produzimos no mercado.
artigo-conteudo

Um site que reúne grande variedade e disponibilidade de produtos gera uma experiência mais positiva para o consumidor, já que ele encontra todos os itens que necessita em um ambiente único. Uma boa reputação gera mais tráfego qualificado para o endereço e atrai mais vendedores parceiros (sellers), o que contribui para diminuir os custos de infraestrutura e gerar preços mais atraentes, melhorando assim a experiência do consumidor. Esse é o ciclo virtuoso que ampara o marketplace, onde pequenos e-commerces têm a chance de expor seus produtos para um mercado gigantesco e gerar mais vendas.

Grandes redes, como Americanas.com e Submarino, oferecem essa possibilidade para parceiros de todos os tamanhos. Eles podem expor seus produtos no marketplace das marcas e ter acesso ao maior tráfego da Internet brasileira.

seller que deseja fazer a integração de seu e-commerce deve estar atento a alguns detalhes que o gestor deverá administrar com mais cuidado. A exposição irá ampliar a requisição de produtos e, com isso, etapas como cadastro, estoque e entrega precisam ser analisadas e controladas atentamente.

Integração passo a passo
Ao iniciar a integração da loja virtual com o marketplace, alguns cuidados iniciais podem ser facilitadores de todo o processo que se sucederá, desde que sejam bem geridos. A seguir, apresento alguns pontos que fazem parte desse início da integração.

Solicitar a entrada no marketplace
O ponto essencial é escolher lojas estratégicas, que possuam grande tráfego de consumidores e sejam de sua extrema confiança. Você pode submeter seu pedido para entrar e, se atender alguns pré-requisitos, terá pouco a ajustar após a integração.

Alguns desses pré-requisitos costumam ser: ter boa reputação no Reclame Aqui e medalha Ebit, além de bom potencial, o que pode incluir preços competitivos e um sortimento diferenciado de produtos.

Assim que sua loja for aprovada, o marketplace irá liberar uma chave de acesso para iniciar o processo de integração. O procedimento da solicitação até a integração tem duração de aproximadamente duas semanas.

Cadastro de produtos
Um ponto de atenção é cadastrar e categorizar corretamente os produtos, incluindo foto, descrição, cor, tamanho e outros detalhamentos que ajudem a ilustrá-los. Outro registro que deve ser feito é aquele referente à estrutura mercadológica do produto, como departamento, linha, classe e subclasse a que ele está associado – informações estas que geralmente obedecem a critérios prévios de documentação da indústria.

Quanto mais clareza houver nas informações, maior será a segurança do consumidor sobre as especificações do produto que está adquirindo.

A categorização é o vínculo entre o produto e sua categoria correspondente no site. Ao cruzar essas informações de cadastro, o sistema também poderá exibir advertências legais para itens que obedecem a legislações específicas, como produtos destinados a maiores de 18 anos.

Se o seller já tiver uma base com o código EAN dos produtos, bem como títulos e descrições, fica mais fácil que o sistema faça match (compatibilidade) entre as informações. Assim, o cadastro ocorre mais rapidamente. Essa integração poderá ser feita tanto via API, como pelo portal; e o parceiro deve garantir que o EAN pertença mesmo ao item cadastrado.

Estoque dos produtos
A integração do e-commerce com o marketplace otimiza uma série de processos e também é uma maneira de divulgação que gera resultados significativos. O lojista online deverá ser prudente para suprir todas as expectativas que o consumidor depositou no produto. O controle de estoque é importante para manter as informações em dia e, ao mesmo tempo, comercializar os produtos que estão disponíveis.

Cancelamentos de pedidos, por exemplo, podem interferir na avaliação do lojista e gerar má performance. O gestor deverá ter certeza de que seus sistemas internos estão aptos para gerenciar o estoque, evitando oferecer produtos esgotados, por exemplo. Ele deverá garantir ainda que os produtos que foram para o carrinho do consumidor tenham vindo de uma compra consumada ou voltem ao estoque, sendo identificados corretamente como disponíveis.

Estratégia de precificação
A maioria dos marketplaces possui regras para atualização de preços e promoções. Os sistemas normalmente levam aproximadamente 30 minutos para atualizar os preços. Promoções também devem obedecer a algumas regras, como redução de preço limitada a 50% por vez. Sendo assim, para aplicar um desconto de 70% ou 80%, o lojista deveria aplicar a promoção de 50% e depois aplicar mais uma de 20% ou 30%.

Todos os procedimentos são simples e aprimoram a experiência tanto do seller, como do cliente. Muitos deles são realizados uma só vez por produto e depois o sistema terá tudo o que precisa para exibir os itens e automatizar as vendas.

O maior benefício dos marketplaces é a exposição dos produtos aos clientes que já possuem o hábito de realizar compras nos grandes players.

Fonte: IMaster

veja também:

Como obter um diferencial e recompensar os clientes do seu e-commerce

Por: Alejandro Vásquez, cofundador da Nuvem Shop e diretor de CONTINUAR LENDO…

artigo-conteudo3

Geração “Y” de consumidores demanda muita atenção de varejistas

Por: Juan Pablo Uma estratégia móvel robusta nos dias atuais CONTINUAR LENDO…

Consumidores multicanal: a nova tendência do varejo

Por: Pedro Ivo Martins O consumidor mudou, online e offline CONTINUAR LENDO…

artigo-conteudo

5 métricas fáceis de analisar que ajudam a crescer uma fan page

Por: Camila Porto As principais dificuldades apresentadas pelos empreendedores e CONTINUAR LENDO…

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

Calendário