Frete Grátis no E-commerce: Quando oferecer

em ago 19, 2013:por

Rodrigo Fadel

Sócio e CFO da eNext, é formado em Administração pela FGV-EAESP. Trabalhou com consultoria financeira, gestão de qualidade e processos na Telefônica e na controladoria do Banco Itaú.
Views55
dropshipping-brasileiro-fornecedores-nacionais-brindes_MLB-O-4698188147_072013

1Pesquisas recentes, tanto no Brasil como no exterior, confirmaram a importância da política de frete, mais especificamente do frete grátis na decisão de compra do consumidor.

De acordo com o estudo conduzido pela BCG (Boston Consulting Group) nos Estados Unidos, 74% dos consumidores responderam que o frete grátis é o fator que poderia influenciá-los a realizar mais compras online. O segundo fator são preços menores com 50% e 35% para devolução sem custo adicional.

Os dados disponíveis e nossa percepção sobre o mercado aponta que o mesmo cenário é válido no Brasil.

Sob a ótica do varejista, uma pesquisa da ABComm indicou que o frete representa 58% dos custos logísticos e que 55% dos lojistas repassam este valor aos consumidores, 30% repassam parte e 15% assumem integralmente o custo. Além disso, 66% dos varejistas que fazem uso de frete grátis tem como objetivo o aumento de vendas, enquanto 34% oferecem esse benefícios para não ficar atrás dos concorrentes e perder vendas.

2

Em função do impacto do frete grátis junto ao consumidor, essa política se disseminou de tal forma no mercado que deixou de ser um grande diferencial e o consumidor brasileiro passou a ver o frete grátis como uma obrigação do lojista, não mais como um benefício. Os motivos para a consolidação dessa visão são vários e merecem um artigo à parte, mas vale destacar o uso indiscriminado deste artificio por lojistas dispostos a pagar para ganhar mercado e a resposta de outros players, adotando e expandindo o frete grátis como forma de não perder vendas.

Isto levou a uma transferência de valor dos lojistas para o consumidor, sem grande benefício para o setor pois o benefício virou obrigação, reduzindo as já apertadas margens de alguns segmentos.

Recentemente, temos visto alguns movimentos pontuais nos sentido de alterar esse cenário, com politicas de fretes grátis mais seletivas, porém, como não temos mais no Ecommerce um player dominante como foi o Submarino anos atrás, apenas uma ação coordenada de vários lojistas seria capaz de promover alterações relevantes no mercado, o que é pouco provável que aconteça nesse momento.

Mas então o que devem fazer os lojistas?

Nossa recomendação tem sido no sentido de primeiramente analisar profundamente os dados da operação, segregando os pedidos e clientes que fizeram uso de frete grátis, dos que não fizeram e compará-los. Alguns dos principais pontos de comparação são: ticket médio, número de itens por pedido, margem dos produtos, frequência de compra e dispersão geográfica.

Com base nesse resultado deve-se estruturar a política de frete grátis tendo como objetivos um ou o conjunto dos seguintes pontos: aumentar a taxa de conversão, aumentar o ticket médio, aumentar a frequência de compra.

Para validar e ajustar a politica, deve-se simular qual seria o resultado dessa política, caso ela tivesse sido implantada no passado. Qual o ganho ou perda marginal que ela provocaria? O passado nos ajuda a entender, mas é no futuro que veremos o resultado efetivo. Por isso, é fundamental entender se as condições verificadas no passado são as mais prováveis para o futuro, promovendo os ajustes necessários.

 

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

4 Comentários :

  1. […] Fonte: nextecommerce […]

  2. Ivo disse:

    Post bem interessante, essa prática “obrigatória” de oferecer frete grátis no e-commerce acaba sendo prejudicial para as empresas, mas como o consumidor online já espera este benefício eu acredito que a única maneira de reverter este comportamento seja com ações em que o frete básico é grátis, porém uma entrega mais rápida é cobrada, assim o cliente aceita a pagar o frete para diminuir o tempo de entrega

  3. Ou seja, o consumidor foi muito mal acostumado. Quer preço baixo e entrega grátis. Só falta querer um depósito na conta dele.

    O comércio eletrônico Brasileiro precisa mudar com urgência, ou muita loja vai quebrar.

    Frete Grátis acima de 500,00 e olha lá!

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25