Magazine Luiza: só e-commerce em alta

em mar 02, 2016:por

Redação Next Ecommerce

O Nextecommerce é um canal para compartilhar idéias sobre as tendências e novidades que encontramos e produzimos no mercado.

O Magazine Luiza, uma das maiores redes de varejo e eletroeletrônicos do país, divulgou seus resultados referentes a 2015, indicando perdas em sua receita, mas apontando um crescimento em sua operação de e-commerce.

No cenário geral, a rede varejista teve um faturamento de R$ 10,5 bilhões, recuo de 8,7% em relação a 2014. Segundo a companhia, apesar da queda, o número representa um percentual inferior à queda média do setor, que foi de 14%, conforme dados do IBGE.

Somente no último trimestre de 2015, o Magazine Luiza registrou um prejuízo líquido de R$ 52,4 milhões e fechou o ano com um prejuízo de R$ 65,6 milhões.

Por outro lado, o e-commerce da companhia teve um aumento de 19,1% no último trimestre de 2015, passando a representar 21,1% do faturamento total da companhia no período.

Segundo a companhia, o avanço do varejo eletrônico foi resultado de melhorias no sortimento de produtos oferecidos e de inovações como o lançamento do aplicativo de vendas para smartphone que conquistou mais de 1 milhão de usuários em quatro meses de lançamento.

Outro ponto positivo apontado pela empresa foi de que os esforços em diversificação de vendas via canal eletrônico aumentou o share de mercado de empresa, assim como reduziu o percentual de recuo no faturamento frente à média do setor.

A companhia terminou o ano com um caixa de mais de R$ 1,1 bilhão, contra R$ 863,1 milhões registrados em dezembro do ano anterior. O caixa foi gerado por medidas operacionais internas, assim como a renovação de um acordo para venda de seguros entre Magazine Luiza e BNP Paribas Cardif, realizada em dezembro do ano passado e que injetou 330 milhões de reais na companhia.

A preservação da margem é consequência de medidas de gestão como a melhoria do mix de produtos e início da cobrança por serviços de frete e montagem.

“No consolidado do ano, as despesas operacionais cresceram apenas 0,1%, mesmo considerando o aumento dos custos com marketing e o impacto da alta de 10,7% na inflação do período”, afirmou a empresa em nota.

Apesar do quatro otimista desenhado pelo comunicado da rede varejista, críticos da empresa de Luiza Trajano não pouparam a marca. Como já era de se esperar, o jornalista e colunista Diogo Mainardi cutucou a empresa em seu blog no site O Antagonista.

“Eu, Diogo, estou satisfeito com esses números? Sim, estou”, disparou Mainardi, que ficou famoso como crítico do Magazine Luiza e de uma possível “bolha” no crescimento do varejo brasileiro ao discutir com Trajano no programa Manhattan Connection em 2014 – o incidente do “vou te mandar um e-mail“.

Fonte: Baguete.com

veja também:

Como obter um diferencial e recompensar os clientes do seu e-commerce

Por: Alejandro Vásquez, cofundador da Nuvem Shop e diretor de CONTINUAR LENDO…

artigo-conteudo3

Geração “Y” de consumidores demanda muita atenção de varejistas

Por: Juan Pablo Uma estratégia móvel robusta nos dias atuais CONTINUAR LENDO…

Consumidores multicanal: a nova tendência do varejo

Por: Pedro Ivo Martins O consumidor mudou, online e offline CONTINUAR LENDO…

artigo-conteudo

5 métricas fáceis de analisar que ajudam a crescer uma fan page

Por: Camila Porto As principais dificuldades apresentadas pelos empreendedores e CONTINUAR LENDO…

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

Calendário