Os prós e os contras de se vender em um marketplace

em fev 13, 2015:por

Gabriel Lima

Gabriel Lima é Graduado em Publicidade & Propaganda pela ESPM e Mestre em Administração de Empresas pelo Insper com ênfase em estratégia. Diretor da Enext, empresa líder em consultoria, marketing digital e soluções para e-commerce e professor da Business School São Paulo.
Views4.631
como-vender-marketplace

Vender em Marketplaces como Submarino, Walmart, Extra ou Mercadolivre parecem ser benéfico para ambas as partes. Do ponto de vista do e-commerce, aumenta a exposição de seus produtos, já os Marketplaces por sua vez, ganham ao expandir suas linhas de produtos sem a necessidade de comprar o estoque.

Ao analisar mais friamente existem algumas nuances que devem ser levadas em consideração ao se tomar a decisão de iniciar as vendas através de um Marketplace.

Se você esta procurando alternativas para o e-commerce e questiona se deve começar a vender seus produtos em um marketplace? A resposta é que depende do seu modelo de negócio, o tipo de varejista que você é, a intensidade de sua concorrência, os produtos que comercializa, bem como as taxas cobradas pelos markeplaces e eventuais restrições que eles podem impor ao seus produtos.

O intuito deste artigo é o de explorar os prós e os contras de se vender em um marketplace sob a ótica de um varejista que esta no e-commerces visando facilitar a decisão de qual marketplace escolher e de como entrar neste modelo de negócios.

Prós de vender em um Marketplace

1. Aumento de Vendas
O principal intuito de disponibilizar seus produtos em marketplaces como Submarino, Walmart, Extra ou Mercadolivre é se alavancar a exposição de seus produtos através do volume de acessos e a presença online dos marketplaces. Como todo mundo que trabalha com e-commerce sabe, conversão depende de tráfego, assim, quanto maior o tráfego, maiores as vendas.

2. Novos consumidores
A chance dos consumidores estarem pesquisando em um marketplace por seu produto ou sua marca em específico são baixas, pois talvez eles nem conheçam seu negócio, porém estes consumidores podem se interessar por seu produto enquanto navegavam no marketplace.

Uma vez que este consumidor compra um produto seu em um marketplace, você tem a chance de fazer com que ele continue comprando de você seja através de seu próprio site, seja através do marketplace novamente, principalmente se os produtos que você comercializa tem um alto índice de recorrência.

Para que o consumidor possa recomprar de você, é fundamental que o produto seja entregue no prazo combinado e que a experiência de compra seja excelente. Recomenda-se que a embalagem seja personalizada, e que você dê algum tipo de beneficio para que o cliente recompre diretamente através de seu site como um cupom de desconto, ou alguma oferta especial para ele acessar seu e-commerce diretamente.

3. Infraestrutura dos Marketplaces
Os marketplaces como Submarino, Walmart, Extra ou Mercadolivre tem uma estrutura robusta por trás de seus negócios, suas marcas são reconhecidas e respeitadas e muitas vezes os consumidores se sentem mais seguros de comprar através deles do que através de seu site diretamente. Além disso, em alguns casos a experiência de compra de diversos itens de fornecedores diferentes em um mesmo checkout pode ser interessante para o consumidor que deseja comprar diversos produtos de fornecedores diferentes em um único lugar.

Contras de vender em um Marketplace

1. Taxas dos Marketplaces
As taxas cobradas pelos marketplaces pelas vendas de seus produtos podem muitas vezes serem altas demais e prejudicar sua margem. A maioria dos marketplaces cobram um percentual sobre as vendas que variam de acordo com o marketplace e a categoria de produtos. Antes de vender você precisa ter certeza que sua margem comporta a taxa que será cobrada. Geralmente produtos comoditizados e com baixas margens não são recomendados para serem comercializados em marketplaces.

2. Modelo de Negócio
A verdade é que os marketplaces não existem para ajudar você, e sim para eles mesmos através do aumento de seu inventário sem a necessidade de compra de estoque, desta forma o foco do marketplace não é o vendedor, mas sim os produtos que este vendedor disponibiliza. Desta forma, os marketplaces podem dificultar ou restringir a presença de sua marca, a forma como você se comunica com os consumidores e mesmo se você pode ou não continuar vendendo seus produtos.

Além disso, nada impede o marketplace de entender como você compra e vende seus produtos e eles mesmos passarem a comprar e vender sem precisar de você.

3. Controle de Estoque
Um marketplace é essencialmente um novo canal de vendas, que deve estar sincronizado com seu estoque, assim como seu site e as campanhas de comunicação que você realiza. O desafio é você manter o controle deste estoque o mais automatizado possível, sem ter a necessidade de reconciliação manual.

Como vender em um marketplace

Finalmente, se você se decidir por explorar este modelo de negócios para o seu e-commerce, é importante ter em mente que existem diversos tipos diferentes de marketplaces e é necessário identificar qual o mais adequado para os seus produtos.

Se quiser mais informações a respeito de qual marketplace escolher, veja o artigo Como Vender em um Marketplace.

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

One Comentários

  1. Thomaz disse:

    os argumentos abordados são uma realidade e muito bem colocados pelo autor. Pode ser um tiro no pé entrar em um marketplace: 1) além das taxas serem altas elas incidem sobre o valor total do pedido, mordendo aí mais uma fatia sobre o frete e diminuindo ainda mais a margem . Aí eu te pergunto: isso é legal? pois eles sabem exatamente o que foi o valor do produto e o valor do frete.

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25