Pesquisa realizada pela Nações Unidas

em abr 26, 2017:por

Redação Next Ecommerce

O Nextecommerce é um canal para compartilhar idéias sobre as tendências e novidades que encontramos e produzimos no mercado.
Artigo contéudo3

Uma pesquisa feita em 24 países pela Ipsos e pelo Centro para Inovação de Governança Internacional, em parceria com as Nações Unidas, mostrou que a maior parte dos internautas está com medo de usar a internet por questões de segurança e, consequentemente, tornou-se mais propensa a diminuir a frequência de compras no e-commerce. De acordo com o estudo, o Brasil e a América Latina estão entre as regiões com consumidores mais desconfiados.

Segundo o “Global Survey on Internet Security and Trust” (“Pesquisa Global sobre Confiança e Segurança na Internet”, em tradução livre), 55% dos usuários têm muita ou alguma preocupação em relação à sua privacidade na web. No bloco formado por Brasil, Índia e China (BIC), o índice é ainda maior – 63% não confiam na internet. Os demais países da América Latina tiveram um resultado semelhante: 64%.

Tamanho “pé atrás” se reflete no uso de sites e-commerce. Entre aqueles que disseram nunca comprar a online (22% no mundo inteiro, 20% no Brasil), a razão principal é a desconfiança nas plataformas de compra online, seguido por “já ouvi histórias negativas sobre comprar online” e “é muito caro”. Passe o mouse e veja os dados no gráfico abaixo.

 

“O ponto fraco da internet é a confiança, e quando ela fica abalada, as consequências para a economia digital são praticamente irreparáveis”, afirmou Fen Osler Hampson, diretor do programa que realiza o estudo, em comunicado à imprensa. “Os resultados dessa pesquisa global oferecem uma visão sobre por que os formadores de políticas devem ficar preocupados, e por quais razões existe uma forte ligação entre confiança do usuário e a saúde do e-commerce”, completou.

“A pesquisa confirma a importância de oferecer proteção adequada ao consumidor e manter a proteção de dados sempre em dia, áreas em que diversos países em desenvolvimento estão ficando para trás”, explicou Shamika Sirimanne, diretor da divisão de Tecnologia e Logística da UNCTAD, órgão das Nações Unidas para fomento do comércio. “Mais capacitação é urgente”, finalizou.

Por outro lado, os números indicam melhora na usabilidade dos sites de e-commerce e na propensão dos brasileiros em comprar online: 53% dos residentes do BIC disseram ter ficado mais fácil fazer compras pela internet, enquanto 35% não notaram diferença. No resto da América Latina, os índices ficaram, respectivamente, em 51% e 35%.

Pagamentos

Quando se trata de pagamentos online, porém, o Brasil ainda está longe de outros mercados onde essa tecnologia já avançou. Segundo o levantamento, 58% dos consumidores do país estão propensos a utilizar formas de pagamento pela internet ou pelo smartphone, enquanto 95% dos indonésios deram a mesma resposta, seguidos por China e Índia, ambas com 86%.

As nações mais desenvolvidas, por outro lado, ficaram no fim da lista, bem atrás do Brasil. Japão, França e Alemanha fecharam a lista, respectivamente com 29%, 27% e 27%. Pouco mais de quatro em cada dez americanos disseram estar propensos a pagar pela internet ou dispositivos móveis.

Confira o estudo completo neste link.

veja também:

adwords

Como melhorar as vendas com o Google AdWords para e-commerce?

Por: Wallace Castro Você quer vender mais, economizar tempo e fazer CONTINUAR LENDO…

red bull

Marketing de Conteúdo te dá asas

Por: Renann Mendes Nunca fui muito fã de dar aulas, CONTINUAR LENDO…

shopping

Google Shopping: aprenda como usá-lo a seu favor

Por: Raquel Lisboa – Nuvem Shop É cada vez mais CONTINUAR LENDO…

email

Por que o marketplace é o assunto do momento no e-commerce?

O ano de 2017 está sendo marcado pela consolidação do CONTINUAR LENDO…

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

Calendário

 
JUL 25