Qual o tipo de estoque ideal para sua loja virtual?

em ago 31, 2015:por

Marcelo Varon

Possui mais de 10 anos de experiência no mundo digital e atualmente é o Gerente geral de Marketing e vendas do Uol Host, divisão do Grupo UOL especializada em pequenas e médias empresas que queiram entrar e crescer no mundo online.
Views107
tipos-de-estoque

Na hora de começar um negócio eletrônico, muitas dúvidas passam pela cabeça. Uma delas é: como funciona o estoque no e-commerce?

A preocupação com este assunto é válida, uma vez que o acervo consome mais de 20% do valor de logística, segundo pesquisa da Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Além disto, o estoque é peça fundamental para todas as outras pontas do negócio: atendimento, entrega e vendas.

Para armazenar seus produtos, o empreendedor pode optar entre ter um estoque próprio, estratégia usada por 82% das lojas virtuais, ou terceirizar este espaço, opção utilizada por 10% do mercado eletrônico, também de acordo com a Abcomm.

Mas, escolher entre próprio ou terceirizado não é tão simples. Dentro desses modelos, existem outras modalidades de armazenamento. Confira abaixo os principais tipos de estoque e descubra qual se encaixa melhor ao seu negócio:
Único

O mais básico dos estoques. Em um local, o lojista guarda os produtos, já adquiridos, que estão expostos na loja virtual. A partir da demanda, é feita a reposição. Mesmo que a logística pareça simples, isso não significa que o modelo não necessite de um bom sistema de gestão.

A vantagem é que o empreendedor tem o controle total de seu acervo. No entanto, pode haver excessos que acabam causando prejuízo.

Estoque Compartilhado

Quem possui uma loja física, pode aproveitar esse acervo já existente também na loja virtual. No caso do estoque compartilhado, ambos os ambientes (online e offline) utilizam o mesmo armazenamento.
Mas é preciso muita atenção ao utilizar este modelo. É necessário que a empresa tenha um bom sistema de baixa e controle dos produtos, evitando, assim, que o mesmo item seja vendido duas vezes.

Estoque Consignado

Esse modelo funciona da seguinte forma: o fornecedor cede um número de peças ao e-commerce. Após um determinado tempo, o varejista paga por aquilo que vendeu e devolve o que sobrou.
Geralmente, os produtos consignados têm pouco giro. Por conta disto, eles podem ser mais caros. Mas, em contrapartida, este tipo de estoque evita que mercadorias fiquem encalhadas na loja.

Estoque Crossdocking

Neste tipo de estoque, não é necessário ter um depósito para armazenar seus produtos. A partir de um acordo com os fornecedores, o empreendedor dispõe de uma quantidade determinada de itens guardados na própria distribuidora.
Com a venda efetuada, o produto em questão segue para o lojista que depois envia ao comprador. A prática reduz os gastos do varejista com armazenamento.

Porém, como os produtos fazem duas viagens (fornecedor-loja e loja-cliente), o prazo de entrega pode ficar mais longo. E é necessário também um aumento de controle fiscal.

Estoque Drop Shipping

Assim como ocorre com o crossdocking, neste formato o acervo também fica aos cuidados da distribuidora. Só que em vez da entrega ao cliente ficar por conta da loja, no drop shipping o fornecedor também fica responsável por esse trajeto.

Ou seja, depois de comprada, a mercadoria sai do estoque da distribuidora direto para a casa do cliente.
Apesar de o modelo otimizar tempo e custos de logística, é preciso ficar atento aos prazos e cuidados com embalagem do produto. Se o pedido chegar atrasado ou danificado, o cliente irá se queixar com você, e não com o fornecedor. É o nome da sua empresa quem está em jogo.

Estão aí cinco opções, escolha a melhor para sua loja e boas vendas!

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25