Uma aposta inteligente contra a crise: a mídia programática

em out 08, 2015:por

Guilherme Mamede é CEO da Melt, primeira empresa DSP com tecnologia Real-time Bidding na America Latina, com objetivo de ajudar anunciantes a obterem mais performance em suas campanhas de mídia online.
Views24

No cenário de incertezas por conta da crise econômica no país, agora oficialmente anunciada, empresas de todos os setores têm enxugado cada vez mais os investimentos e, claro, a verba destinada para a publicidade também sofre cortes. Mas como diz aquele velho ditado: quem não é visto não é lembrado, certo? Como, então, “enxugar” custos sem deixar de trabalhar a exposição de marca de forma efetiva a fim de atrair a atenção de seu público?

Frente à situação atual, desponta como solução a mídia programática que, por ser muito mais assertiva, é capaz de atingir melhor o público, otimizar os gastos e garantir muito mais resultados do que a mídia tradicional. Além, é claro, de poder controlar muito melhor o investimento e usá-lo com inteligência.

A mídia programática já mostrou ao que veio e, há alguns anos, já vem se fixando no mercado mundial como uma ótima opção para a compra de espaços de publicidade digital. Com novas tecnologias, esse formato já está até alcançando materiais impressos, como anunciou a Time Inc. em fevereiro deste ano.

Agora que a expressão custo-benefício ganha ainda mais importância entre os anunciantes, investir em uma solução atrativa aos consumidores é melhor saída para continuar trabalhando a sua marca. Ainda mais quando essa solução é capaz de atingir exatamente o perfil que você busca e é capaz de mostrar resultados em relatórios completos. A mídia programática permite saber de fato quantas pessoas você impactou, quem são essas pessoas, qual os seus gostos e preferências, diferente da mídia televisiva, por exemplo, que é uma das mais caras. Além disso, a compra de espaços publicitários nesse modelo é muito mais rápida e automatizada, sem a necessidade de um intermediador, como uma ligação ou um e-mail.

Existem ainda as vantagens de usar recursos como o retargeting, que ajuda a expor a marca à pessoas que estão bem mais propensas a comprar o seu produto ou serviço. Segundo dados da consultoria Wishpond, 72% dos compradores abandonam o carrinho de compras online antes de efetuar a transação e apenas 8% deles voltam para finalizar. Usando retargeting, a taxa de retorno salta para 26%. Em tempos em que cada cliente importa muito para o desempenho do seu negócio, essa pode ser a saída para vender mais e manter a receita da sua empresa sempre positiva.

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25
 

Our Facebook Page