User experience: você ainda vai precisar

em ago 24, 2015:por

Cristiano Fernandes

Diretor de Design Executivo da AG2Nurun, tem 15 anos de experiência no mercado digital. Formado em Desenho industrial começou sua carreira na comunicação offline e já trabalhou em diversas marcas nacionais e globais, do concept criativos até à entrega em produtos digitais dos mais diversos formatos e mídias sociais, para clientes como Embraer, Bradesco, Nestlé, Vale, etc. É premiado e jurado de festivais como El OjoIberamericano, Festival de Publicidade de Gramado entre outros.
Views17
ux-voce-vai-precisar

Existem muitas técnicas para fazermos um bom trabalho usando os princípios e técnicas de UX. User experience (UX) é algo que nos rodeia todo tempo e se for bem feita é imperceptível. É como você ter a sensação que algo está ruim, mas não sabe explicar bem o que é. Isso é a tal falta de UX nos projetos. E no digital é como respirar.

Assim como um designer não é designer só as 8hs do dia de trabalho, ele é designer todo tempo, precisamos olhar UX como algo holístico. A UX deve ser aplicada caso a caso, a cada projeto, a cada cliente buscando um bom resultado na prática, determinando desafios, tornando mais agradável, rápida e fácil a vida das pessoas.

Uma agência nativa digital deve puxar o protagonismo de falar e buscar a verdade. Resolver problemas reais aplicando UX no seu dia-a-dia. No mercado de publicidade atual, a mídia de impacto ainda é importante para as marcas, mas não se sustenta. O cliente (ou usuário da sua marca) vai querer estabelecer uma conversa com o que consumiu, nisso a interação será fundamental e neste contexto UX é mandatório. UX em uma indústria em crise, vai ser cada vez mais demandada e entendida como um diferencial para unir pessoas e marcas pós impacto.

Veja o exemplo da Netflix, que já chegou no mainstream, refez sua estratégia, produz seu próprio conteúdo e redesenhou toda sua presença nos diversos pontos de contato. E é incrível como é similar e ao mesmo tempo única em cada um deles, ou seja, redesenhou tudo e surpreendeu.

Jonathan Ive, da Apple, disse ano passado: “É muito fácil fazer algo que é completamente novo. Mas nós estamos tentando fazer coisas que são melhores”. Ano após ano eles melhoram seus próprios produtos (na maioria das vezes conseguem), que tem muito de UX aplicada com engenharia. Ou seja, não é só aplicar UX uma vez, é ser constante na evolução do que fazemos.

Eu fui a Cannes este ano com a visão de um designer curioso, para sentir a experiência de perto e entender como um festival de criatividade funciona, avaliando experiências e não só campanhas ou peças.

Vi modelos de agências que se reinventaram. Inventaram produtos que unem o digital à desafios do nosso cotidiano, usando muito de UX no desenvolvimento e propaganda para divulgar tudo isso. Um bom exemplo de como faturar prêmios.

As empresas e agências que quiserem se diferenciar nos próximos anos, vão ter de olhar para os problemas de verdade dos clientes e unir isso à tecnologia e serviços úteis.

Amir Kassaei, olha pra cá, nem tudo tá perdido!

Estamos falando do Vale do Silício, não dá pra comparar, mas nos pequenos projetos e soluções que damos aos nossos clientes diariamente na “Terra Brasilis”, devemos pensar nos desafios com a cabeça de um designer. E eles não precisam ser grandes.

Resolver pequenos problemas, um de cada vez, por exemplo, refazendo um simples formulário de check out ou reduzindo cliques em uma operação bancária.

Pense nisso no seu próximo briefing: Como solucionar um problema real neste nosso mundo real cheio deles, no contexto das marcas que você já trabalha? Quem sabe assim você será premiado em Cannes com uma solução de verdade, sem ser essencialmente filantrópico.

veja também:

Não há outros artigos postados por esse autor

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25