Webshoppers: Resultados do 1º Semestre de 2014

em out 06, 2014:por

Alan Pascotto

Trabalha atualmente na eNext gerindo e dando apoio a diversos projetos de planejamento, implantação e gestão. Formado em Administração de Empresas pelo Mackenzie e Pós-Graduado em Marketing Digital pela FECAP.
Views49
WEBSHOPPER-30-ed

Foi divulgado pelo E-bit na semana passada a 30º edição do relatório Webshoppers com os resultados das vendas do e-commerce brasileiro no 1º semestre de 2014. São muitos os temas abordados no relatório, então apresentarei aqui um resumo dos principais pontos.

Como havia sido previsto no final do ano passado, o crescimento do e-commerce se mantem num ritmo acelerado. O faturamento do primeiro semestre foi de R$ 16,06 bilhões, superando em 26% o mesmo período do ano passado (R$ 12,74 bilhões), porcentagem maior aos 25% que foram vistos no primeiro semestre de 2013 em comparação com o mesmo período de 2012. Esse crescimento está baseado em um significativo aumento do número de pedidos realizados, que chegaram a 48,17 milhões, representando um aumento de 36%.

Em contrapartida, houve uma pequena diminuição do ticket médio, que caiu para R$ 333,40. O interessante de se notar é que embora tenhamos vivenciado uma queda no volume de pedidos durante o mês de junho, em decorrência da Copa do Mundo, os meses anteriores foram suficientes para sustentar o crescimento.

Com relação ao número de e-consumidores, 5,06 milhões de pessoas realizaram sua primeira compra em uma loja virtual ao longo do 1º semestre de 2014, incrementando um grupo que estava em 51,3 milhões no final de 2013. A evolução do número de e-consumidores pode ser vista à seguir:

numero de econsumers

A categoria “Moda e Acessórios” vem mantendo a sua hegemonia sobre as outras, representando 18% do volume total de pedidos. Houve uma pequena queda comparado aos 19% vistos na consolidação de 2013, porém em comparação ao mesmo período do ano passado o valor era de apenas 13,7%. Segue a relação completa:

categorias mais vendidas

É sabido que o frete grátis é uma ferramenta poderosa para incentivar clientes a realizarem uma compra, e por esse motivo é utilizado amplamente por diversas lojas virtuais do país. Porém o que vem se observando é que esse uso está cada vez mais moderado. O relatório aponta que em junho de 2013 62% das vendas contaram com frete grátis, um ano depois, esse valor caiu para cerca de 50%. Essa queda demonstra que os varejistas não estão focando só na venda, mas também na rentabilidade do negócio. Fator extremamente importante com o crescente custo de propaganda.

Outro ponto de extrema importância apresentado no relatório é a expansão do mobile commerce. Mais uma vez vemos um crescimento da participação das compras via dispositivos móveis no volume total de transações do e-commerce. A participação era de 3,6% em junho de 2013, foi para 4,8% em dezembro e agora saltou para 7%, podendo chegar a 10% no final de 2014. Fica clara a tendência da maior participação de dispositivos móveis, e, por isso, é cada vez mais essencial que os sites invistam na adaptação de seus layouts. Esse já é um diferencial hoje em dia, e com o tempo passará a ser obrigatório para um negócio que queira alcançar resultados expressivos. Devido a importância desse assunto o relatório dedica um capítulo completo para tratar do assunto.

Como expectativas para o restante do ano, é previsto um crescimento de 15% para o segundo semestre. Valor inferior ou primeiro devido a reflexos da copa, baixo crescimento econômico e as incertezas do período eleitoral. Porém, mesmo com essa desaceleração está mantida a previsão de se alcançar no final do ano um faturamento de R$ 35 bilhões e 104 milhões de pedidos realizados.

Quem tiver maior interesse pode fazer o download do relatório completo no seguinte link

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25