A Usabilidade aplicada ao checkout

em abr 14, 2014:por

Victor Ferrante

Victor Ferrante é formado em Publicidade e Propaganda pela PUC-SP, fascinado por e-Commerce e design. Colaborador da eNext e NextEcommerce.
Views119
usabilidade-no-checkout

Quando pronunciamos a palavra e-commerce, o termo usabilidade é o primeiro a estrelar nossa pauta, e os testes que essa palavra traz anexados são extremamente benéficos para qualquer loja.

A seguir apresento alguns pontos que certamente deixarão seu processo de checkout mais eficiente.

1. Faça o que você diz que fará.

Aposto que você adora surpresas né? Então vamos surpreender no checkout? Escrito assim parece até uma piada, mas o que mais vemos em nossos sites do dia a dia são botões escritos: “prosseguir”, “próxima página”, “próximo” e uma seta acompanhando o texto.

Porque não colocar simplesmente o que é o próximo passo? ou para onde vamos ao prosseguir? A seta, por si só, já tem a capacidade de informar ao cliente que ali é o lugar para clicar para prosseguir, não tem necessidade de se construir um botão hiperbólico, é a mesma coisa que dizer: vou subir ali em cima, ou vou entrar lá dentro.

Prosseguir

Nesse caso, fica claro que o prosseguir é o call-to-action, e que é ali que devemos clicar, mas não sabemos para onde estamos indo! Simplesmente por colocar o próximo passo, conseguimos distinguir exatamente o que fazer agora e o que esperar do próximo passo

Pagamento

Ao trocar prosseguir por pagamento, fica muito mais fluído o processo, eu já sei que ao clicar ali, enquanto carrega a página eu já posso ir pegando meu cartão, o próximo passo está explícito.

Quando estamos lidando com compra, com o gasto de nosso tão suado salário, não queremos saber de surpresa, queremos saber exatamente o que nos espera, e para onde estamos indo.

2. Mantenha o processo focado

Quando seu consumidor está fazendo o checkout a única coisa que ele não precisa é se confundir, todos sabemos que quando estamos no computador dificilmente nos focamos em uma coisa somente, sempre temos uma aba a mais aberta, seja para ver nossas curtidas, ou para lermos alguma notícia, a questão é que quanto menor a quantidade de informação na tela mais provável do checkout se completar.

Distrações no checkout

Isso quer dizer que não faz o muito sentido colocarmos ao lado da página de cadastro, por exemplo, um banner promocional, ou uma fotografia. Mantenha-se ao básico, têm pessoas que são contra até a amostragem do sumário de compra, mas isso abre portas para outras argumentações. O fato é: se for pra colocar alguma coisa, coloque o resumo do pedido, sem enfeites, e call-to-action somente para o próximo passo do checkout!

3. Dê aos seus consumidores todas etapas de uma vez

Ontem mesmo me deparei com a loja da Mash, que por sinal está muito bacana, recomendo! Na onda do WebFashion Day peguei uns descontos atraentes, e quando cheguei na hora de comprar: Boom! O Checkout deles é incrível, assim que saio do carrinho, para a parte dos formulários (bleh), surpresa: todas as etapas na minha tela, nem precisei girar o scroll.

Página de Checkout Mash

Você deve estar pensando: ué a maioria das lojas são assim, todas etapas expostas e para cada uma página. Sim, isso é um fato, existe um motivo por trás da ideia de se dividir em etapas o processo de compra, mas no caso da Mash, ao você ir para a próxima etapa, simplesmente o box se expande ali na frente, e não precisa carregar outra página. O checkout em página única além de intuitivo está todo lá, explícito, é a honestidade em forma de e-commerce.

4. Surpresas podem ser boas

Sim, as “guidelines” (se é que podemos usar essa palavra no e-commerce) de usabilidade dizem que o processo de maior conversão é o mais suave e fluído possível, e isso é incontestável, o SmartCheckout da VTEX comprova isso com números, mas algumas vezes e em alguns casos específicos uma “lombadinha” pode cair bem. A Dell US fez um experimento que aumentou suas vendas em quase 5%, simplesmente por adicionar um “Are you sure?” na hora de remover o produto do carrinho.

Cart Dell US

No caso da Dell, isso deu certo principalmente porque computadores são produtos de alta comparação, as pessoas tendem a pesquisar muito qual máquina comprar, e onde comprá-la, então a utilização da ferramenta “are you sure” conseguiu trabalhar com esse comportamento de dúvida inerente aos seres humanos, e no “pensando melhor…” levaram 5% a mais de Dell’s para as ruas.

Em suma, existem alguns erros bem amadores, como no caso da página de checkout que não sai da loja, e casos que não são graves, mas talvez com alguns testes a/b poderiam gerar alguns resultados surpreendentes, como no caso do botão de Continuar. Contudo, o que realmente importa no e-commerce, é o fato de que nunca podemos parar de testar, o mercado está em desenvolvimento intenso e somos nós que vamos traçar o futuro do comércio virtual.

Deixe um comentário

O que achou do conteúdo? Compartilhe sua opinião:

Gostou do nosso conteúdo?

Deixe seu e-mail aqui e receba as novidades do mercado

eNext Dashboard

eNext Dashboard

SLI Systems

SLI Systems

Calendário

 
JUL 25